O brinde e suas taças…

Entre outras imagens marcantes do dia de um casamento uma das fotos que mais resume o que este dia representa é com certeza a dos noivos com taças de espumante nas mãos brindando um dos dias mais felizes de suas vidas. Concorda comigo?

Os vinhos são recordistas em especificações quanto à forma correta de bebê-los. A tecnologia e a indústria desenvolveram a curvatura do bojo, o angulo da borda, a largura da boca, o comprimento da haste e a capacidade da taça dão o tom da experimentação. Afinal são mais de 400 tipos e tamanhos.
A escolha da taça não é apenas uma sofisticação necessária nem um preciosismo dispensável. A influencia que o formato de um copo exerce na apreciação de um vinho ou um espumante é comprovada tecnicamente e aceita por especialistas em qualquer lugar do mundo. E não é frescura não, é o caminho mais curto para se alcançar uma degustação completa da bebida, sentindo todas as suas qualidades em relação aos aromas e ao paladar. Segundo a Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) a nota de um vinho é baseada no aspecto gustativo e tátil (60%), olfativo (24%) e visual (16%).

Espumantes: Conhecidas como “flûte”, ou flauta, as taças para espumantes devem ser altas e estreitas para manter a efervescência da bebida por mais tempo. Não recomendados para esse caso, copos largos dificultam a produção contínua de bolhas e dispersam o aroma.
Brancos: Estes vinhos são normalmente servidos gelados. Sendo assim, as taças devem ser pequenas para que a bebida seja colocada no copo em quantidades reduzidas, de forma que o vinho seja sempre reposto e, assim, não esquente.
Tintos: As taças recomendadas são as mais bojudas e com as bordas mais estreitas, já que o tamanho auxilia na expansão do aroma, essencial para o sabor do vinho. A borda estreita mantém o buquê concentrado e em direção ao nariz. Para os tintos encorpados, a regra são os copos com boca mais larga, já que a bebida precisa “respirar” e “dançar” dentro da taça soltando seus aromas mais intensos e liberando a sua potência.
Taça ISO: é uma taça coringa, serve para todos os tipos de vinho e é a utilizada em degustações técnicas.

Taça ISO

Dicas:

  • Nunca encha a taça acima da metade da sua capacidade. Além de deselegante, na hora de oxigenar o vinho balançando o copo, corre-se o risco de derramá-lo.
  • Para uma boa degustação, o ideal é que a taça seja de cristal liso, fino e incolor, pois um dos prazeres está em perceber as tonalidades do vinho.
  • Tenha cuidado com a limpeza dos copos. Use pouco detergente e lave-os com água morna muito bem para evitar o acúmulo de resíduos. Tenha o hábito de cheirar as taças antes de uso e não utilize as que estiverem com algum odor que prejudique a degustação.
  • Investir em taças custa caro. A sugestão é comprar um par de cálices por mês. Aos poucos, a coleção fica completa. E para seu enxoval indicamos que tenhas: 01 jogo para vinho branco, 01 para espumante, e dois para vinhos tintos (sendo um Bordeaux e outro Borgonha)
  • Segurar pela haste, para não ter marcas de dedo nem alterar a temperatura do liquido.